segunda-feira, 7 de julho de 2014

Primeira aparição pública e sermão de Abu Bakr al-Baghdadi como Califa (ISIL/ISIS/DAASH)


Data escolhida a dedo: dia de Ramadã e de 4 de  Julho!

5/7/2014, TwitLonger de François Gatete (Traduzido para o inglês)
Traduzido da transcrição pelo pessoal da Vila Vudu


“Em nome de Alá, o Mais Misericordioso, o Especialmente Misericordioso. Misericordioso, al-Furqan [1] apresenta sermão e pregação coletiva na grande mesquita na cidade de Mosul, no 6º [dia do mês] de Ramadã, [ano de] 1.435 [da Hégira]”.

....

Baghdadi: “Que a paz e as bênçãos de Alá desçam sobre vocês” [O cantor recita a oração; Baghdadi usa um siwak (instrumento para limpar os dentes)].

Abertura do sermão [Khutbah, inna alhamdullilahi (...)], com os trechos do Corão associados. Fim da abertura, “Oh vocês que creram, foi-lhes ordenado que jejuassem e foi-lhes ordenado antes disso que todos se tornassem dignos”.

Alá, o Altíssimo, disse “O mês do Ramadã [é o mês no qual] foi revelado o Corão, guia para o povo e provas claras de orientação e critério. Por isso, todos que vejam surgir o [a lua nova do] mês, que jejuem”.

Oh, muçulmanos! Quem cresceu até ver o Ramadã recebeu grande bênção. E grande missão que lhe deu Alá, o Altíssimo.

É mês cujo começo é doação. Cujo meio é perdão. Cujo fim é proteger-se contra o fogo do inferno. Um mês no qual, se o crente jejua com convicção e espera perdão, ele será perdoado. Com a autoridade que é sua, Abu Hurayrah, que Alá esteja satisfeito com ele, o mensageiro de Alá, que Sua paz e Suas bênçãos desçam sobre ele, disse: “A quem jejua o Ramadã com convicção e esperança de ser perdoado, seus pecados lhe são perdoados. E a quem guarda o Ramadã com esperança e convicção do perdão, seus pecados lhe são perdoados”.

Um mês que traz a abertura das portas do paraíso eterno e fecha as portas do fogo do inferno. E encarcera os demônios. Um mês portanto que é uma noite que vale mais que mil noites. Quem não o tenha deixado descer sobre si, tornou impossível que todo o bem [khair] desça sobre si.

(Corão) “A Noite do Decreto é melhor que mil meses. Os anjos e o Espírito descem portanto por permissão de Seu Senhor para todos os casos. É a Paz que fará raiar o dia”.  

Um mês em que há divórcio: divórcio e separação do fogo do inferno. E é verdade para cada uma e todas as noites desse mês. Um mês que se põe como obstáculo na perseguição contra a jihad. [2] E o mensageiro de Alá – que a paz e todas as bênçãos desçam sobre ele –, disse [Segue a narrativa profética sobre a jihad].

Assim sendo, colham as vantagens desse mês santo, Oh, cultuadores de Alá! Lutem, portanto, Oh, muçulmanos! Alá, o Abençoado e Altíssimo criou-nos para amá-Lo e só Ele no monoteísmo, e para estabelecê-Lo em Seu modo completo de viver [o Islã]. Ele, o Altíssimo, disse:

(Corão) “Não criei o jinn [3] e a humanidade senão para que Me cultuem”. E Alá ama que matemos os inimigos de Alá e que façamos jihad em Seu nome.

Ele, o Altíssimo, disse:

(Corão 2:216) “A guerra foi imposta a vocês, embora vocês odeiem a guerra”.

E Ele, o Altíssimo, disse:

(Corão, Surat Al-‘Anfal [verso 39]) “E lhes deem combate até que não haja fitnah [ateísmo e politeísmo], e até que toda a religião, toda, seja de Alá. E, se pararem, mesmo ainda assim, Alá Vê o que fazem”.

Oh, povo na religião de Alá, sejam justos Nele, levantem-se por Ele e afirmem a verdade d’Ele, e não se dispersem e não se afastem do que Alá nos deu. E mantenham-se firmes com a Xaria de Alá, e a referência a ela, e apliquem e aceitem o hudud (castigos islâmicos).

(Corão) “Nós já mandamos Nossos mensageiros com provas claras e mandamos com eles a Escritura e o equilíbrio [para que] o povo possa manter [seus negócios] em justiça. E mandamos o ferro, pelo seu grande poder militar e benefícios para o povo [de tal modo que] Alá possa tornar visíveis os que O apoiam e os Seus mensageiros invisíveis. Em verdade a verdade vos digo, que Alá é Potente e Elevado em Força”.

E essa é a aplicação da religião de Alá. E esse é o Livro que dá orientação, e a espada que garante rápidas vitórias [refere-se ao Surat al-Fath (49 Sura do Corão, “A vitória”, “A Conquista”)].

E aos seus irmãos, os mujahidin (pl. de mujahid [4]) (“combatente(s) na jihad”), Alá, o Abençoado, o Altíssimo, deu-lhes vitórias e conquistas que vieram depois de muitos anos de privações e paciência. E mantiveram-se firmes contra os inimigos de Alá, e Ele os tornou poderosos na terra, até a declaração do Califado e a escolha de um Imã. E esse é assunto obrigatório para todos os muçulmanos. É Waajib! [5] E tem de ser aplicado inteiramente a toda a terra. Mas a maioria do povo é ignorante.

(Elogio aos que restabeleceram o Califado): E eles restabeleceram o Califado, e glória e graças a Alá! E vocês desperdiçarão essa bênção imensa, se recusarem a missão, a tarefa pesada, se derem as costas a ela, nesse caso estarão rejeitando a bênção que cairia sobre vocês. Eu fui submetido a uma prova por Alá, na minha eleição ao Califado. É carga imensa. Não sou melhor que vocês. Aconselhem-me quando erro e sigam-me se acertar. E me socorram contra os tawagheet [6].

E lhes trago a boa nova do que Alá prometeu aos crentes que O venerem:

(Corão) “Alá prometeu aos que, dentre vós, creem e praticam boas ações, que Ele lhes garantirá a sucessão no poder sobre a terra, assim como Ele garantiu o poder àqueles de antes dele, e Ele com certeza implantará para eles a religião que Ele preferiu para eles e que Ele substituirá: depois do medo, a segurança,  para que ME cultuem, nada associando a MIM. Mas quem não creia nisso – esses são os desafiantemente desobedientes”.

A Sua promessa:

(Corão) “Não enfraqueçam e não lamentem, e vocês prevalecerão, se creem verdadeiramente” (mais ayat corânicos sobre vitórias).

E Ele disse: (Corão) “Toda a Honra pertence a Alá e ao Seu Mensageiro, e aos crentes, mas os hipócritas não sabem”.

Essas são as promessas de Alá. E se as promessas de Alá alegram vocês, temam-No e vivam retamente em boa consciência [orig. taqwa [7]].

Temam Alá em todas as bênçãos e em todas as situações. E disseminem a verdade. E sejam firmes, pela verdade. E a disseminem para todos os que vocês amam e todos que vocês odeiam.

Se a promessa de Alá lhes agrada, então dediquem-se a ela com fervor de jihad! E conclamem os crentes para que façam o mesmo. E tenham paciência nesses tempos de dúvida. Se vocês soubessem o que há na jihad, desde a recompensa [ajr], as bênçãos generosas [karama], a ascensão na vida, a honraria, nessa vida e na outra, nenhum de vocês jamais se desviaria do caminho da jihad!

(Corão) “Creiam em Alá e Seu Mensageiro e lute pela causa de Alá com suas riquezas e a própria vida.” É o melhor para vocês, e vocês sabem ou deveriam saber que é. Alá perdoará vocês e os acolherá em jardins onde riachos correm, onde poderão viver para sempre. Nenhum feito ou realização da vida assemelha-se a chegar lá.

E isso que vocês amam, a vitória vinda de Alá e a conquista, estão próximas!

(Fim do sermão [Khutbah]. Daí até o final, o xeique recita o Corão).



Notas dos tradutores

[1] O critério.
[2] Sobre o conceito islâmico de Jihad (“empenho”, “dedicação” em busca da perfeição).
[3] jinn”.
[4] Mujahidin”.
[5] “Waajib”: obrigação máxima, absoluta, para o muçulmano: “Wajib (o mesmo que fiqh): obrigação que o muçulmano tem de cumprir, tão obrigatória como as cindo orações diárias”.
[6] Tawagheet. Entendemos que significa os que creem e seguem comandos que não lhes sejam dados por Alá. Todas as correções e comentários são bem-vindos. 
[7] Taqwa”. 

2 comentários:

  1. Foge a minha compreensão crer num deus conivente com tanta violência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Violência armada pela superpotência hegemônica...

      Excluir

Registre seus comentários com seu nome ou apelido. Não utilize o anonimato. Não serão permitidos comentários com "links" ou que contenham o símbolo @.