domingo, 10 de julho de 2011

Geithner: “Estados Unidos não entrarão em default”

Cristine Lagarde alertou hoje que
a inadimplência dos EUA teria
"consequências devastadoras"

 10/07/11 19:02
Comentário entreouvido na Vila Vudu:
Podemos todos dormir em paz. Os EUA não darão calote nos pagamentos externos. 
A situação, desde o dia 15 de maio, nos EUA, é idêntica à do Brasil dos governos FHC, quando o Brasil quebrou três vezes -- comentário altamente explicativo, que não se ouvirá nem da Míriam Leitão nem dos "economistas" tucanos que falam pelos jornalões brasileiros. 
A coisa já está bem contada em Portugal. 

O secretário do Tesouro norte-americano assegurou hoje que o país pagará as suas dívidas.

“Os Estados Unidos não entrarão em default [inadimplência da dívida]”, afirmou Timothy Geithner, garantindo que “os membros do Congresso compreendem isso”.

As declarações do secretário do Tesouro dos EUA surgem numa altura em que as negociações em Washington sobre o aumento do teto máximo legal para o endividamento do país estão entrando num período crítico. É que o partido Democrata de Obama e o partido Republicano na oposição têm apenas até ao dia 2 de Agosto para chegar a um acordo antes que o país entre em inadimplência.

Para pressionar democratas e republicanos a chegarem a um acordo sobre o limite do endividamento dos EUA, a nova líder do Fundo Monetário Internacional (FMI), Cristine Lagarde, alertou hoje que a inadimplência do país “iria certamente colocar em perigo a estabilidade não só da economia dos Estados Unidos, mas de todo o mundo”.

O limite do endividamento dos EUA foi já atingido no passado dia 16 de Maio, estando o Tesouro mantendo-se em operaçãoo graças a medidas extraordinárias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Registre seus comentários com seu nome ou apelido. Não utilize o anonimato. Não serão permitidos comentários com "links" ou que contenham o símbolo @.

Postar um comentário