segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A longa guerra de resistência contra o roubo de terras palestinas por Israel

A OLP, o Hamás e o Hezbollah obrigaram Israel a libertar mais de 8.000 presos políticos árabes desde 1983

Com números de Haaretz, Israel, 17/10/2011
Traduzido pelo Coletivo da Vila Vudu


 
 

1983
– Israel entrega ao Líbano 4.600 presos políticos árabes, em troca de seis soldados israelenses presos no Líbano.

Maio 1985 – Israel entrega 1.150 presos políticos árabes ao Comando Geral da Frente de Libertação da Palestina, em troca de três soldados israelenses. A troca foi feita depois de quase nove meses de negociações.

Junho-Julho 1985 – Israel entrega 331 presos políticos libaneses xiitas ao Líbano, em troca de 39 passageiros estrangeiros sequestrados num avião TWA norte-americana em voo para Beirute (Israel nega a conexão entre os dois eventos). 

Julho 1996 – Israel entrega ao Líbano os corpos de 123 presos políticos, militantes do Hezbollah, em troca dos corpos de dois soldados israelenses, em negociação mediada pela Alemanha.
– Milícia financiada por Israel (Exército do Sul do Líbano [ing. South Lebanon Army (SLA)] entrega 17 presos políticos, combatentes do Hezbollah, em troca de 45 libaneses.

Janeiro 2004 – Israel entrega ao Hezbollah 436 presos políticos palestinos e outros presos políticos árabes, em troca de Elhanan Tannenbaum, empresário israelense, e os corpos de três soldados israelenses mortos em confronto na fronteira com o Líbano, em 2000.

Julho 2008 – Israel entrega cinco presos políticos, militantes do Hezbollah, em troca dos corpos de dois soldados israelenses capturados em ataque à fronteira do Líbano, que levou à guerra de 34 dias entre o Hezbollah e Israel, quando o exército de Israel foi expulso do Líbano.

Outubro 2011 – Israel está entregando ao Hamás cerca de 1.027 presos políticos palestinos, em troca de 1 soldado israelense, tripulante de tanque, capturado em combate em 2006. 

Em 28 anos, Israel já foi obrigada a devolver mais de 8.000 presos políticos árabes. 

A luta continua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Registre seus comentários com seu nome ou apelido. Não utilize o anonimato. Não serão permitidos comentários com "links" ou que contenham o símbolo @.

Postar um comentário